É aqui que vai querer trabalhar

A plataforma de recrutamento global Glassdoor divulgou a lista dos melhores empregadores para 2018.

Há tecnológicas, há consultoras, há hospitais e também há companhias de aviação e empresas do sector do retalho. A plataforma de recrutamento global Glassdoor acaba de divulgar o seu ranking (lista) anual das melhores empresas para trabalhar, identificadas pelos próprios trabalhadores. O Facebook volta a liderar uma lista de empresas multinacionais que recrutam à escala global, e onde também constam gigantes como Google e o LinkedIn. Entre as 30 primeiras posições da tabela estão pelo menos oito organizações com operações ativas em Portugal e contratações regulares.

A rede social de Zuckerberg volta a destacar-se na lista dos melhores empregadores da Glassdoor, sobretudo pelos benefícios que concede aos seus profissionais. Entre as vantagens de trabalhar para a tecnológica, identificadas pelos profissionais, estão, por exemplo, “os excelentes níveis de compensação que reconhecem os mais produtivos, a autonomia, o espaço para o crescimento, uma liderança forte mas simultaneamente informal e transparente, um excelente espírito de equipa e um trabalho altamente motivador”.

Não se identificam posições ativas para Portugal, mas a empresa contrata à escala global e basta percorrer a plataforma Glassdoor e os principais sites de recrutamento internacionais, para identificar milhares de vagas na equipa da tecnológica nos vários países do mundo onde esta detém operações, e onde pode caber um perfil português.

Mas nem tudo são likes (gostos) no quotidiano de quem integra a equipa de Mark Zuckerberg. Os profissionais ouvidos no estudo da Glassdoor reportam dificuldades de conciliação entre a carreira e a vida pessoal, pelo elevado nível de exigência que a atividade comporta, elevados índices de competitividade que conduzem à designada “síndrome do impostor” (a convicção de que o colega do lado é também um corrente). Muitos profissionais aconselham até a liderança de recursos humanos da empresa a promover mais e melhores políticas de conciliação trabalho-família e de prevenção do burnout (esgotamento) dentro da empresa.

OPORTUNIDADES EM PORTUGAL
O Boston Consulting Group (BCG) é uma das empresas listadas no ranking com operação nacional. A consultora tem vagas permanentemente ativas e além das suas operações regulares de recrutamento, conduz também programas de estágio. Entre os perfis preferenciais das dezenas de profissionais que admite anualmente estão recém-graduados (mestres, sobretudo) ou profissionais mais experientes, até com MBA.

A avaliação dos seus funcionários garantiu-lhe a manutenção da terceira posição da tabela global das melhores empresas para trabalhar a nível mundial. O espírito de cooperação e trabalho de equipa entre colegas é destacado, assim como o trabalho de elevado impacto junto de clientes de topo, o forte investimento em programas de formação e desenvolvimento e os níveis salariais e benefícios oferecidos. Porém, tal como no Facebook, as dificuldades de conciliação entre a vida profissional e pessoal são apontadas como uma dificuldade para quem integra a empresa.

A consultora SAP, é outra das empresas a atuar em Portugal presente nesta lista e marca, de resto, uma das grandes subidas no ranking. Em 2017, a consultora tecnológica ocupava a 15ª posição da lista e este ano surge na 11ª. A sustentar esta melhoria na avaliação dos funcionários estão questões como a forte aposta na inovação, os excelentes níveis salariais e de benefícios praticados.

Da lista de empresas a atuar em Portugal fazem também parte a consultora McKinsey, a rede imobiliária Keller Williams, a SalesForce e a Nestlé Purina, a marca de rações veterinárias da Nestlé que, em Portugal, entre 2014 e 2017, contratou 630 profissionais e concedeu 344 estágios, no âmbito do programa europeu “Nestlé Needs YOUth”, e que tem em marcha o projeto de expansão do seu centro de serviços que poderá vir aumentar os seus ativos nos próximos anos.

CONCILIAÇÃO FAMILIAR
A empresa registou contudo uma forte descida no ranking entre 2017 e 2018. No ano passado, a plataforma Glassdoor colocava a Nestlé Purina na 13ª posição da lista. Este ano, a empresa foi empurrada para a 27ª posição da tabela. Recorde-se que, em 2015, a organização chegou a ocupar a 3ª posição da lista. A avaliação dos profissionais é positiva, destacando a forte autonomia e flexibilidade laboral que caracteriza as carreiras comerciais na empresa, mas muitos destacam a dificuldade em manter a coesão, a cultura empresarial e o espírito de equipa, quando a maioria dos profissionais trabalha remotamente e sugerem a adoção de novas políticas nestes domínio.

O gigante tecnológico Google também perdeu terreno na lista das melhores empresas do mundo para trabalhar. Desceu uma posição na tabela, da quarta para a quinta posição. Ainda que a maioria dos profissionais confirme que trabalhar na Google é o paraíso para qualquer engenheiro ou especialista em tecnologia, a generalidade também confirma que a empresa começa a sofrer “dores de crescimento”. À medida que se expande, surge a burocracia nos processos, a dificuldade em responder de forma célere ao mercado e equipas menos ágeis. Sinais de alerta para o gigante das tecnológicas.