Homem morre ao ser atacado por um tigre de Sumatra

Um homem foi morto por um tigre de Sumatra numa remota vila indonésia, disseram hoje autoridades, referindo tratar-se do segundo ataque mortal deste ano.

Yusri Effendi, 34 anos, foi encontrado sábado à noite por aldeões na província de Riau, Sumatra. O homem sofreu lesões fatais no pescoço.

A vítima estava a trabalhar com outros funcionários num canteiro na aldeia de Tanjung Simpang quando um tigre foi visto vagueando nas proximidades.

Os trabalhadores esperaram várias horas antes de sair, pensando que o animal tinha desaparecido. Mas eles acabariam por dar de frente com o animal e tiveram de enfrentar o tigre.

Os colegas da vítima disseram que todos se deveriam dispersar para escapar do felino. Mas Effendi não teve tanta sorte. Mais tarde, o homem foi encontrado inconsciente perto de um rio.

“Quando tiraram as suas roupas, repararam que tinha uma ferida no pescoço”, afirmou a agência de proteção ambiental da província de Riau, em comunicado.

Nos últimos anos, vários casos de pessoas mortas por tigres ocorreram na Indonésia durante projetos de limpeza de matas para abrir caminho para novas plantações de dendezeiros. No entanto, o desmatamento destrói os ‘habitats’ dos animais e promove o contacto daqueles animais selvagens com as populações.

Em janeiro, um empregado de uma plantação de dendezeiros (espécie de palmeira de onde se extrai óleo alimentar) na mesma província de Riau foi morto por um tigre quando se encontrava no seu local de trabalho.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) considera que o tigre de Sumatra está criticamente ameaçado e estima que entre 400 e 500 espécimes ainda vivem na natureza.